Licitação de R$ 120 milhões às obras da Rota Bioceânica sai esse ano, diz ministro

29
Acompanharam o governador Reinaldo Azambuja o secretário Jaime Verruck, o senador Nelsinho Trad e os deputados federais Fábio Trad e Beto Pereira. Foto: Edson Leal

Governo federal informou na quinta-feira (7), ao governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, que vai abrir licitação para empresas elaborarem o projeto de construção de 12 quilômetros de ligação entre a BR-267 e a ponte sobre o Rio Paraguai, de Porto Murtinho em MS até o município paraguaio de Carmelo Peralta, o trajeto viabiliza a Rota Bioceânica que vai ligar Mato Grosso do Sul aos portos do Oceano Pacífico.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou que as Rotas Bioceânicas (ferroviária e rodoviária) passando por MS são as duas melhores rotas ligando o Brasil aos portos no Oceânico Pacífico, e que o resto é utopia. “Tanto a ferroviária quanto a rodoviária são importantíssimas para a competitividade do nosso Estado”, enfatizou Azambuja após a reunião.

O governador ressaltou que falou para o presidente da República, Jair Bolsonaro, sobre a Rota. “Trabalhamos tanto para viabilizar esta rota, que ela está se viabilizando com a infraestrutura, com investimentos”, disse o gestor estadual. “Ouvi do ministro, quem estava na reunião também ouviu após eu perguntar: Qual a visão que o senhor tem das Rotas Bioceânica ferroviária e rodoviária. Ele foi claramente textual: são as duas melhores rotas a serem concebidas pelo Brasil. Não adianta sonhar, ter utopia, nós temos que incentivar o andamento”, explicou Azambuja.

O secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, que participou da reunião, explicou que o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) está concedendo o licenciamento para as obras da rodovia de acesso à ponte, que tem custo estimado em R$ 120 milhões. “O Ministro disse que esta licitando o projeto desta obra, tem verba para licitação do projeto e até meados do ano que vem teremos pronto um projeto de acesso à ponte. É uma questão fundamental, não existe Rota Bioceânica sem o acesso a ponte”, enfatizou o secretário.

Sobre a Rota Bioceânica Ferroviária, Verruck explicou que o Governo está trabalhando para antecipar a concessão. “Temos o investidor, temos a demanda levantada, temos o projeto, mas precisamos antecipar a concessão, ninguém vai investir em uma ferrovia que tem 7 anos de concessão licitada”, afirmou o secretário, detalhando que a antecipação da concessão da Malha Oeste depende do processo de licitação da Malha Paulista, que está em andamento. “Enquanto não resolver a Malha Paulista, não vai andar a Malha Oeste, ela é um paradigma”, afirmou Verruck.

Após reunião com o ministro da Infraestrutura, o governador foi até a casa Civil da Presidência da República falar com Assessor Especial Leandro Barbosa de Lima, sobre cortes de R$ 94 milhões em investimentos federais no Estado, que afetariam a UFMS, IFMS, o Aeroporto de Dourados e manutenção de rodovias, entre outras obras importantes. “O ministro fez o compromisso com Mato Grosso do Sul de recompor esse valor. Viemos para a Casa Civil tratar sobre isso, já que vai haver reunião do grupo orçamentário do Governo Federal. Eu tenho certeza que o ministro Onyx Lorenzoni vai cumprir sua palavra”, torceu Azambuja.

O governador obteve especificamente o compromisso da recomposição financeira de R$ 70 milhões para manutenção da BR-419. “Tratamos de questões importantes, como a liberação da licença para operação do porto de Porto Murtinho e a recuperação da BR-267, que dá acesso a Porto Murtinho”, destacou o governador de MS.

De acordo com Jaime Verruck, a BR-419. “Ajuda na Rota Bioceânica, a rodovia diminui a distância entre Rio Verde e Porto Murtinho em mais de 100 km. Essa obra já está prevista, será um novo trecho, de Aquidauana para frente na BR-419”.

*Com assessoria. 

COMPARTILHAR