Boi gordo e milho: pecuarista vê melhora no poder de compra em dezembro

48
Renata Silva/ Embrapa Rondônia e Seagri-RO

De acordo com a Scot Consultoria, com a queda do dólar e a expectativa de chuvas no Sul do país, o cereal registrou queda mais acentuadas do que a arroba do boi gordoO poder de compra do pecuarista de corte frente o milho subiu 2% em dezembro, quando comparado ao resultado de novembro.

De acordo com a Scot Consultoria, com a queda do dólar e a expectativa de chuvas no Sul do país, o cereal registrou queda mais acentuadas do que a arroba do boi gordo.

Agora, é estimado que para cada arroba do boi gordo, o produtor pode adquirir 3,48 sacas de milho, em Campinas (SP). A consultoria afirma que isso representa alta de 2% frente a novembro, quando era possível comprar 3,41 sacas do cereal, mas queda de 16% em relação a dezembro de 2020, quando era possível adquirir 4,18 sacas.

Em Campinas (SP), a saca de 60 quilos está valendo R$78 sem frete, queda de 6,2% na comparação com a média de novembro deste ano, mas ainda sim está custando 56% mais em relação a dezembro de 2019.

Expectativas 

Ainda de acordo com a consultoria, no curto prazo, a expectativa é de preços mais frouxos no mercado interno, considerando dólar mais calmo e também a chegada das chuvas previstas para as próximas semanas, que devem impactar diretamente as lavouras de milho verão, principalmente no Sul do país.

Boi gordo

A primeira semana de dezembro foi de pressão sobre os preços do boi gordo. No mercado atacadista, as cotações caíram para os cortes e carcaças depois de 23 semanas consecutivas de alta.

Para a consultoria, frigoríficos podem começar a ofertar preços maiores para fechar as programações do escoamento do fim de ano. O avanço da vacina contra a Covid-19 também exerceu impacto sobre o câmbio e os preços.

COMPARTILHAR