Em Ribas do Rio Pardo policia apreende helicóptero que seria utilizado no tráfico de drogas

42
Imagens: Polícia Civil/Divulgação

Na manhã desta quinta-feira (12), a Polícia Civil realizou operação conjunta e apreendeu um helicóptero que pousou irregularmente em propriedade privada e que seria utilizado por criminosos para carregamento de entorpecentes.

A operação contou com o apoio da Deco (Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado), SIG (Setor de Investigações Gerais) de Ribas do Rio Pardo e Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros).

Assim que o helicóptero realizou o pouso, policiais civis efetuaram a abordagem do piloto, que estava sozinho e foi identificado como Daniel de Almeida Stella, de 42 anos.

Inicialmente o piloto apresentou versões contraditórias, mas ao ser confrontado, admitiu que teria pousado em Ribas do Rio Pardo nesta quarta-feira (11) e, no dia seguinte se encontraria com um terceiro, qualificado como José Rael de Souza, de 53 anos, para juntos, decolarem rumo a uma fazenda localizada em outro município. A droga, possivelmente cocaína, seria retirada dessa fazenda e levada para outra localidade. O piloto disse ainda que realmente não tinha um plano de voo, reconhecendo que estaria irregular, ainda mais pelo fato de ter pousado em uma propriedade privada.

Os policiais civis efetuaram inúmeras diligências e conseguiram localizar essa terceira pessoa mencionada pelo piloto.

Ao contrário do piloto, esse terceiro indivíduo, de nome José Rael de Souza, apelidado de “Bigode” ou “Trator”, negou os fatos, dizendo que não sabia de nada e que apenas daria um auxílio ao piloto com a gasolina, desconhecendo qualquer carregamento de drogas.

Os dois indivíduos foram interrogados na Delegacia e enquadrados nos crimes de atentado contra a segurança de transporte marítimo, fluvial ou aéreo e associação para o tráfico de drogas.

O helicóptero encontra-se apreendido, sendo que foi vistoriado e periciado pela Deco. Na perícia, constataram-se várias irregularidades, as quais podem ensejar, inclusive, penalidades na esfera administrativa.

A Polícia Civil dará continuidade às investigações, visando à identificação de outros membros da organização criminosa.

COMPARTILHAR