Ex-jogador de futebol, peão de MS é atual campeão de rodeio nos EUA e busca ser o nº 1 do mundo

224
José Vitor Leme, campeão mundial em Las Vegas, Estados Unidos

G1/Flávio Dias

A carreira meteórica do jovem sul-mato-grossense José Vitor Lemes de 21 anos no mundo do rodeio tem chamado a atenção de admirados do esporte. Há três anos ele trocou as chuteiras do futebol pelos touros dos principais torneios de rodeio.

Nascido na cidade de Ribas do Rio Pardo, a 97 km de Campo Grande, ele é vencedor em 2017 do maior campeonato de montaria do mundo, realizado nos Estados Unidos.

Agora, ele embarca na tarde desta segunda-feira (6) para a América após passar alguns dias de férias no Brasil onde volta a treinar para competir as fases do Professional Bull Riders (PBR), considerado a copa do mundo das arenas e que está com final prevista para novembro deste ano.

O jovem já faz história nas arenas. Nos dois primeiros campeonatos de rodeios mais importantes de sua carreira ele ficou na primeira colocação.

No Brasil, ganhou Barretos, campeonato brasileiro e foi o peão revelação, o que deu a ele o prêmio Tríplice Coroa. Segundo Vitinho, no mundo, só ele e mais um tem esses três títulos ganho de uma única vez, um diferencial para a carreira.

“Isso mudou a minha vida. Eu sempre sonhava em ir para la [Estados Unidos] competir com os melhores do mundo, mas não esperava que iria ser tão rápido’’ explica.

Na América, ele ganhou ao disputar pela primeira vez a final do mundial em Las Vegas e também conseguiu ser o revelação. Por não estar desde o início do campeonato para a obtenção dos pontos, ficou entre os 10 primeiros no ranking mundial e hoje faz parte do seleto time de peões que disputam o PBR.

José Vitor Leme é o 6º melhor peão do mundo. (Foto: José Vitor Leme/Arquivo pessoal)
Imagem: Divulgação 

O jovem já faz história nas arenas. Nos dois primeiros campeonatos de rodeios mais importantes de sua carreira ele ficou na primeira colocação.

No Brasil, ganhou Barretos, campeonato brasileiro e foi o peão revelação, o que deu a ele o prêmio Tríplice Coroa. Segundo Vitinho, no mundo, só ele e mais um tem esses três títulos ganho de uma única vez, um diferencial para a carreira.

“Isso mudou a minha vida. Eu sempre sonhava em ir para la [Estados Unidos] competir com os melhores do mundo, mas não esperava que iria ser tão rápido’’ explica.

Na América, ele ganhou ao disputar pela primeira vez a final do mundial em Las Vegas e também conseguiu ser o revelação. Por não estar desde o início do campeonato para a obtenção dos pontos, ficou entre os 10 primeiros no ranking mundial e hoje faz parte do seleto time de peões que disputam o PBR.

COMPARTILHAR