Quase 300 animais já foram atropelados neste ano na MS-040 entre Santa Rita do Pardo e Campo Grande

152
289 animais foram atropelados na rodovia MS-040 entre Santa Rita do Pardo e Campo Grande Imagem:Divulgação

Com informações Correio do Estado

Levantamento da Iniciativa Nacional para a Conservação da Anta Brasileira (Incab), do Instituto de Pesquisas Ecológicas (Ipê) aponta que no primeiro semestre deste ano, 289 animais foram atropelados somente na rodovia MS-040, em Mato Grosso do Sul, incluindo 209 mamíferos, 68 aves, 11 répteis e 1 anfíbio. Do total, morreram 14 antas e algumas outras espécies seriamente ameaçadas de extinção tais como o tatu-canastra e o cachorro vinagre.

Em fevereiro, reunião técnica realizada pelo Ministério Público Estadual e pesquisadores do Incab definiu metas de atuação por parte da Agência Estadual de Gestão de Empreedimentos (Agesul) e Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) a fim de encontrar soluções para os casos de atropelamento. As pastas do Governo do Estado chegaram a receber estudo técnico e Plano de Mitigação detalhado, mas não houve sequência.

Por este motivo, a 34ª Promotoria de Justiça moveu ação civil pública responsabilizado o Estado, secretarias e empresas que participaram das obras de pavimentação da MS-040. Segundo Patrícia Medici, coordenadora do Incaba e uma das autoras do Plano de Mitigação, a falta de ação das organizações responsáveis continua a causar mortes de pessoas e animais nas rodovias.

“Os dados que vêm sendo gerados por nossas pesquisas são extremamente claros, contundentes e reforçam a urgência da tomada de medidas. Já produzimos um Plano de Mitigação que pode reduzir as colisões, mas o mesmo ainda não foi colocado em prática apesar de os órgãos já terem se comprometido em reuniões conosco e o MP”, explicou a pesquisadora.

A ação, ajuizada em Junho, teve os pedidos liminares negados e o MP recorreu da decisão.  É pedido que os réus sejam condenados a implantar todas as medidas previstas no Plano de Mitigação apresentado pelo IPÊ, no prazo de um ano, sob pena de multa, e que Estado e Imasul, no prazo de noventa dias, fossem obrigados a elaborar estudos e aprovar normas para aperfeiçoar o licenciamento ambiental de construção, pavimentação, duplicação ou reforma de estradas e rodovias no Mato Grosso do Sul.

Último caso

Um filhote de onça-parda foi socorrido por um tenete coronel da Polícia Militar Ambiental (PMA) depois de ser atropelado neste sábado (04) na rodovia MS-040, entre Santa Rita do Pardo e Campo Grande. O animal foi encontrado ferido, ao lado de outro filhote, que estava totalmente estraçalhado.

Segundo o Tenente Coronel Ednilson Paulino Queiroz, chefe de Comunicação da Polícia Militar Ambiental, o acidente ocorreu na altura do km 151 da rodovia. Ele relatou que retornava de Bataguassu para Campo Grande quando avistou o filhote por volta das 9h.

Queiroz informou ainda, que o animal encontrava-se em estado grave e possuía vários ferimentos provocados pelo atropelamento, aparentemente com ossos quebrados. O filhote foi envolvido em um tecido e foi removido ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS) em Campo Grande, onde ainda chegou com vida e recebe atendimento médico veterinário.

Onça-parda foi atropelada na rodovia MS-040 no útlimo sábado, dia 04.
COMPARTILHAR