Três Lagoas: Cervejaria com geração de 300 empregos será instalada às margens da BR-158

707
Fábrica será instalada em área na saída de Três Lagoas para Brasilândia- Hugo Leal/JPNews

Com informações JPNews

A fábrica de cerveja que deve ser instalada em Três Lagoas com investimentos de R$ 300 milhões e geração de 300 empregos, será construída em uma área às margens da rodovia BR-158, na saída para Brasilândia, onde funcionou o alojamento de trabalhadores da Fibria. A área foi doada ao município pela empresa de celulose.

Inicialmente, a cervejaria seria instalada em uma área no Cinturão Verde, na divisa com o Estado de São Paulo. No entanto, como existe uma demanda judicial em relação às famílias que moram no local, o processo para a desocupação da área que seria utilizada, levaria um tempo maior.

Segundo o prefeito Ângelo Guerreiro (PSDB), o empresário tem pressa na doação da área, pois tem prazo para a construção da fábrica, já que está com a produção comprometida e necessita construir a unidade para atender novos mercados. Por esse motivo, a prefeitura apresentou essa área na saída para Brasilândia e, segundo Guerreiro, o empresário aceitou. “É uma área importante, fica às margens da rodovia, até melhor do que a do Cinturão Verde”, destacou o prefeito, que se reuniria com o novo secretário de Desenvolvimento Econômico, José Aparecido de Moraes, na tarde desta sexta-feira (6), para tratar do processo de doação desta área.

O prefeito adiantou que na próxima semana será dada uma reposta à sociedade em relação à instalação desta cervejaria, bem como de outras indústrias no município. Guerreiro destacou que esse é um empreendimento importante para a economia e geração de empregos na cidade.

O empresário pretende investir R$ 300 milhões na instalação da fábrica, que deve gerar 300 empregos. Além disso, a cervejaria deve vir acompanhada de mais duas indústrias: Uma fabricante de latas e outra de cachaça. A previsão inicial era de que essas duas empresas fossem instaladas no Distrito Industrial.

Uma das exigências do empresário foi de que a área para a instalação da cervejaria ficasse às margens de uma rodovia, por uma questão de marketing e logística. As negociações para atrair a cervejaria para Mato Grosso do Sul começaram em meados de 2016, quando os empresários procuraram, primeiro o governo estadual, e depois o município, para dar início as negociações na doação da área e tratar dos incentivos fiscais.

COMPARTILHAR