Projeto Florestinha realiza Educação Ambiental para 2588 alunos em quatro escolas municipais de Três Lagoas

254

Durante toda esta semana, as crianças e adolescentes do Projeto Florestinha da Capital realizaram trabalhos de Educação Ambiental na cidade de Três Lagoas, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação daquela cidade e a empresa MS GÁS, que é parceira no Projeto.

Os trabalhos iniciaram-se na segunda-feira (3) e se encerram hoje (7), quando serão atendidos 2588 alunos de quatro escolas públicas municipais. Foram atendidos 812 da escola Joaquim Marques de Souza, 496 da escola Professora Maria de Lourdes Lopes, 740 da escola Professora Maria Eulália Vieira e 550 da escola Olyntho Mancini. Os trabalhos de Educação Ambiental são executados em forma de oficinas didáticas com as seguintes temáticas:

   Reciclagem de papel, com palestra sobre os problemas relacionados aos resíduos sólidos.

    Visitação ao museu de animais e peixes taxidermizados e materiais utilizados em crimes ambientais (empalhados), com palestra sobre fauna, pesca, atropelamentos de animais silvestres, etc.

  Apresentação do teatro de fantoches, com peças sobre as questões ambientais, como: desmatamentos, incêndios florestais e resíduos sólidos, etc.

    Ciclo da Água, com palestras sobre o ciclo, uso sustentável, poluição e escassez dos recursos hídricos.

   Casa da Energia – Trata-se de uma maquete de uma residência com todos os locais de consumo de energia (lâmpadas, chuveiros, ar condicionado, geladeira, micro-ondas etc.). Com esta oficina é realizada a discussão e informação sobre os tipos de energia e a importância ambiental de se economizar este recurso.

             Plantio de mudas nativas, com palestra sobre flora (Desmatamento, erosão de solos, controle de poluição, assoreamento), preservação, conservação e uso racional dos recursos hídricos.

Ao final dos trabalhos são entregues aos professores, folhetos com os temas discutidos nas oficinas, para que eles deem continuidade às informações, por meio da Educação Ambiental formal. A ideia é que os alunos entendam que o ambiente é um sistema complexo e interativo, em que qualquer ente afetado, prejudica outros em cadeira, gerando desequilíbrios que vão interferir diretamente na qualidade de vida do ser humano.

Os trabalhos de Educação Ambiental continuam na próxima semana, com atendimento em escolas públicas da capital, em Corumbá (17 a 20 de abril) e Três Lagoas (próximo mês).

COMPARTILHAR